quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Strike e minha vida amorasa.

"Eu nunca fui nada sem você
Esquece o que passou
Pra ser daqui pra sempre
E o que dizem já não importa mais
E se entregue sem olhar pra trás
A noite eu vou te levar daqui pra sempre"

"Te busco em outros corpos só pra afastar essa solidão
Sem me convencer que a historia tem início e meio, mas nunca teve um fim"

"Só me encontro em paz
Quando ao meu lado você está"

"É difícil ter que te imaginar com alguém que possa te fazer mais feliz que eu
Porque não volta?"

"Te rever é o bastante pra sentir que havia algo entre nós
E o passado esquece de existir quando estamos a sós
Eu sempre esperei só pra ter você
E hoje o tempo é quem vai dizer
Imprevisível, o destino quis assim e mudou tudo ao meu redor
Eu tentei te achar, fugir daqui e ser pra sempre um só
E eu nao vou mais olhar pra trás,
dessa noite eu não vou mais voltar a trás"

'Uninspired'

Estou sem inspiração nenhuma, estou totalmente desanimada.
 Acordei bem, mais o dia hoje está se arrastando.

Tumblr_lfndhz9yhe1qgv5awo1_500_large

Day 24 — The person that gave you your favorite memory - a pessoa que lhe deu sua memoria favorita

"Kiss me gently
Always I know
Hold me, love me
Don't ever go" 
"Às vezes eu me perco só pra ver se me controlo
Mas muitas vezes eu me embolo sem querer
E me dizendo que é louco isso pra mim é muito pouco
E faz de mim o que você quiser fazer
Nosso destino não está decidido
Quero perder meu tempo todo contigo"

"My heart stops when you look at me,
Just one touch now baby I believe
This is real so take a chance and
Don't ever look back, don't ever look back"

Desculpa,
hoje estou sem criatividade e desestimulada,
mas essas músicas representam memórias muito boas para mim.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Day 23 — The last person you kissed - a ultima pessoa que vc beijou

The last person that I kissed was a person very, very important to me but I think that he doesn't know.


Ele sempre foi uma pessoa importante para mim, sempre o "amei", hoje, eu não sei dizer bem o que sinto. Na verdade sinto uma onda de alegria e receio de qu aconteça tudo de novo, mas sabe, só em tê-lo perto alivia qualquer "dor". Sim, o beijei. Foi um presente e não me esqueço. Nunca imaginei que o beijaria novamente, mas sim, beijei e ele me beijou e senti como se nada tivesse mudado, embora, saiba que tenha. Ele é o único que me faz de trouxa. Todo esse tempo e todas as vezes, eu sei, mas eu farei o quê? É sentimento. Um dia, eu sei que isso morrerá, mas até esse dia chegar, ele vai "morrendo" aos poucos em mim. A última pessoa que beijei, sim foi ele. A pessoa que mai idealizei algo e nunca vivi, a pessoa que mais me fez chorar e eu deixei. Yeah, he was.

Era algo mágico, totalmente lúdico .. algo que sinto falta...mas não é do beijo que sinto falta, e sim daquele beijo ...daquele amor, daquele carinho ... (Amanda Leite) - Ela sente exatamente o que sinto.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Putaquilamerda

O contador de histórias.

Day 22 — Someone you want to give a second chance to - alguém que vc daria uma segunda chance


Segunda chance? Eu daria para mim mesma. Eu sou tão louca, que cometi erros que eu não deveria ter cometido e não me deram a oportunidade de tentar novamente, então a seguda chance eu daria para mim. Eu colocaria a minha cabeça no lugar e provaria para mim mesma que errar é humano e segundas chances são necessárias. Nem tudo está perdido. Daria uma segunda chance para eu ser feliz, fazer diferente, olhar de um ângulo novo. Estudar mais, sair mais, aproveitar mais (sem medo), enfim ... Esse post é dedicado a mim.

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Day 21 — Someone you judged by their first impression - alguém que vc julgou na primeira impressão

Eu vou falar sobre uma pessoa muito especial para mim, mas que quando vi pela primeira vez e algumas outras vezes, podemos dizer que "julguei", mas como em filmes, hoje somo grandes amigas. Quem será??? AMANDA. (ouve-se aquele: "ooooooooooooh" - rs)
Amiga linda, acho que nunca conversamos sobre isso e se conversamos não me lembro, porque são infinitas conversas sobre TUDO. Eu conheci Amandinha em um retiro na igreja. Certinha, "santinha", nunca seria amiga de uma louca, aloprada e surtada como eu. Olha, quebrei feião a cara. Somos tão diferentes e tão iguais. Como que pode isso? Naquela época eu não sabia. Ela sempre aparentou ser aquela menina que nunca erra e que é fresca, bom ... a parte do fresca, ela realmente é, rs, mas eu também sou HAHA. Eu me surpreendi com a pessoa que ela é. Além de fofa é suuuuuuuuuuuuuuper doida que nem eu e nunca, nunca mesmo me condonou por algo errado que eu tenha feito, pelo contrário, sempre esteve lá e está. Obrigada, amiga, por tudo!

Day 20 — The one that broke your heart the hardest - alguém que partiu seu coração com força

Desculpem-me, ontem nem deu para postar, então estarei postando hoje. Faltou luz, na hora que eu iria escrever, algum propósito houve para eu não escrever. RS.

Bom, o post de hoje é meio repetitivo, mas está valendo. Alguém que partiu meu coração com força? Tem aquela frase que diz que todos irão nos machucar e isso é fato, porem a segunda parte da frase dz: só a gente poderá decidir por quem vale a pena "sofrer". Eu concordo com esa frase, mas se a pessoa vale a pena, ela não nos faria sofrer, correto? Mas isso ainda me deixa meio confusa, porque as pessoas que "quebraram meu coração com força" foram pessoas muito chegadas. Um deles foi meu pai. Acho que nunca cicatrizou a ferida que ele me deixou, o buraco que ele fez aqui no meu peito. Eu peço a Deus todos os dias para que o que eu sinta, principalmente quando estou sozinha ou conversando com alguma amiga sobre, não seja raiva, nem remorso, porque são sentimentos muito feios e eu não quero sentí-los. Não sei qual seria a minha reação se ele me procurasse novamente, confesso que várias vezes já me peguei imaginando esse dia, mas na hora, com certeza será diferente, mas só poderei saber no dia em que eu vê-lo. Outro que partiu meu coração é um dos meus "casos", bom, quem me conhece, sabe quem ée quem não conhece, fica a dica: melhor nem saber o que aconteceu. 

O post desse dia será curtinho. 
Agora um feedback sobre o 30 days letters: Eu estou amando escrever todos os dias sobre várias coisas que eu nem lembrava mais, ou melhor, deixei adormecidas em mim, porem elas têm um lado meu chato, pelo fato de serm bem repetitivas, fora isso, tudo ok, estou amando me conhecer e saber o que sinto todos esses dias.

sábado, 22 de janeiro de 2011

Day 19 — Someone that pesters your mind—good or bad - alguém que importuna sua mente bom ou ruim

A mais chata de todas. Minha mãe. Graças a Deus, hoje, estamos bem, o ruim é não saber até quando. Acho que ela tem se controlado um pouco ou talvez eu mesma não esteja dando motivos. Ela me perturba no bom e no mau sentido, por exemplo, esses últimos dias ela tem me perturbado para separar umas fotos que estam em DVD para poder revelar, mas ela não entende que eu não faço isso nem para mim e o pior é que o meu pc está uma "benção", portanto não dá para fazer nada de tão grande, quanto isso. Hoje, de manhã, ela me pediu para baixar o primeira temporada de um seriado que ela gosta, Bones, mas meu pc está tão cheio que não dá mais nada. Eu estou vendo a hora de ele dá um troço e eu peder tudo. SURTO! Quando ela cisma com algo, que é para eu fazer, OMG, coitada de mim, mas até que dou boas risadas com isso, o ruim é quando ela quer dar lição de moral: "você só faz para suas amigas e não faz nada para mim.", nada que nenhum filho nunca tenha ouvido, isso é fato, porem, fora isso, tudo tranquilo. Estou descarregando meu pc agora, para pelo menos, baixar a bosta do seriado. Eu vou fazer o quê? Ela é minha mãe e querendo ou não, com todas as nossas brigas, ela me ama e disso eu não tenho dúvida. Quando estamos bem, estamos bem, mas quando estamos mal. Bom ... para isso existe o meu blog, desabafar.

More a day of letter. Thank's for the memories.

Se liga mané

Uma promessa feita é uma dívida não paga.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

19 não são 20 de Janeiro de 2011.

Impossível não comentar esse dia e nem poderia deixar-lo passar desapercebido aqui, no lugar que eu mais tenho gostado de ficar, entre teclas e palavras.
18 anos! Bom, hoje minha amiga perguntou como eu me sentia com 18 anos, sendo maior de idade. Sabe o que respondi? Rouca. Rimos juntas, como sempre. Na verdade, sabe o que eu sinto? Nada de diferente. As mesmas responsabilidades, o mesmo trabalho, a mesma cara, o mesmo corpo, talvez não a mesma pessoa, mas isso não foi somente do dia 18 para o dia 19, nem dos 17 para os 18, somente, eu venho mudando, ou melhor, me aperfeiçoando a cada dia e isso eu vou descobrindo a cada ano que passa. Eu ando me descobrindo, me conhecendo, isso tem me feito bem.


Confesso que eu estava desanimadíssima. Meus planos mudaram TOTALMENTE e surpresas mais que inesperadas, porem ótimas, me vieram. Dia 19 e 20 foram dias muito divertidos que me deram gás para continuar aguentando firme toda essa "barra" que anda acontecendo comigo. Os primeiros dias do ano já deram muito o que falar ou pelo menos o que pensar (eu pensar). Posso afirmar que esse aniversário foi o melhor aniversário de todos e posso até estar exagerando, como falei no post abaixo sobre exagero, mas é um exagero totalmente aceitável e plausível.
Eu fui trabalhar no meu aniversário, mas, graças a Deus, consegui trocar de horário e como foi difícil, tive que exercitar bem a minha paciência!!! Já comecei o dia super bem, minha mãe acordou junto comigo e a minha vó também, ou seja, bagunça às 5 da matina, só a gente mesmo. Quando eu estava chegando aqui, recebi duas mensagens de duas amigas muito lindas, Amanda e Natália, meu olhinho até brilhou. Ao chegar a empresa, Mailany me deu um abraço tão bom, que por um momento esqueci de tudo a minha volta, mas a parte mais engraçada com a Mailany foi o que ela desejou a mim: "Te desejo um namorado muito lindo e muito melhor do que ele (quem sabe, sabe)." Gargalhada na certa. FATÍSSIMO. Depois meu brother, super doido, Luciano, que ficou comigo o dia inteiro, muito fofo. Não poderia deixar de falar da Suellen, ficamos quase 1 hora no telefone, ela está de férias, mas o simples fato dela me ligar, nossa, me deixou muito mais que contente. Adivinha quem me ligou? Flávio, é um dos motivadores, mesmo sem ele saber, desse blog, tanto que a maioria dos posts são para ele. Tão fofo, me ligou do trabalho e ficamos conversando uns 10 minutos. Vários amigos me ligaram dia 19, Malu, Marcus, Juliana, essa eu nem posso deixar de falar, mas só depois, porque antes de vê-la fui almoçar com o pessoal da empresa: Guilherme, Douglas, Luana, Mailany, Amandinha (obrigada por ter saído mais cedo só para ir lá comigo), fico tão emocionada com essas coisas, obrigada de coração a todos que foram. Meu presentinho do Douglas foi o almoço e a Lu? OMG! Ela me deu uma blusa tão linda e que abraço. Sabe ... eu adoro abraços, eu sinto a sinceridade da pessoa pelo abraço e o dela, sinceridade e carinho, isso eu consigo sentir até com o olhar. Ah! Douglas, a pessoa que eu odeio com todas as forças da minha alma ele entende e sabe o quanto é especial para mim, obrigada por me proporcionar um dia tão lindo. Amanda, uma doida, só a gente mesmo para conversar todos os dias sobre tudo e o melhor presente que eu poderia ganhar é a presença dela na minha vida, não só para saber das minhas desilusões amorosas, mas sim de exatamente e literalmente tudo e sem vergonha (no bom sentido). Depois que eu sai da empresa, me encontrei com a Juliana e fomos ver a Cintia, ao nos encontrarmos, lembrei-me da época de escola, meu 3º ano, o melhor de todos os anos, de verdade, 2009 foi O ANO. Não ficamos muito tempo juntas, na verdade pouquíssimo tempo para quem se via todos os dias e sempre cada dia era melhor que o outro. Hoje dou tanto valor a esses pequenos momentos juntas, não que antes eu não desse, mas agora, como não são mais frequentes, esses momentos são tão valiosos para mim. Voltamos, Juliana e eu, de trem e tinha que ter risada, não é mesmo? Sentamos em um trem que tinha acabado de chegar, era de ar e estava vazio, vazio, mas eu (como sempre), queria ir o mais rápido possível para Campo Grande, porque vocês não sabem para onde eu iria (passaria em Madureira e depois em Bangu, para logo após ir a Campo Grande - mas acabei desistindo de tudo e ir ao encontro de mamãe, sem ironias, rs), eu cismei de ir no outro trem, mesmo que em pé, mas chegaria mais rápido, para minha "sorte" ou "maldita sorte" (como queiram) o trem em que nós estávamos variou e sabe qual o trem que saiu? O que nós estávamos sentadas. Juliana só faltou me bater e eu, caí na gargalhada, novamente. Era de ar, também, mas estávamos em pé e cansadas, acabadas. Quando eu quero que o trem vá rápido ele não vai, isso é mais do que comprovado! Ela ainda queria me deixar na curiosodade do meu presente, que por sinal foi tão fofo. Uma blusa de manga escrita em inglês "doe amor, doe vida", tudo a ver, pois ela trabalha no HemoRio. Só para comentar, eu gostaria de doar sangue, mas meu medo e super nervoso de agulha, não me permite, ou melhor, não me permitirá, pois só agora, poderei doar sangue, tenho 18  \o/. Enfim ... chegamos em Campo Garnde eram quase 17:00h fomos à loja da minha mãe, ela, como sempre, me apresentando a todos e aqueles momentos "orgulho de mamãe" e "parabéns" de pessoas que eu nunca vi na minha vida (parabenizar pessoas não é comigo e receber parabenizações de pessoas desconhecidas muito menos, enfim ...), quis sair o mais rápido que eu pude daquele lugar. Coitada de mim! Comecei, então, a receber meus presentes. Na verdade, eu não queria nada assim de tão grande ou caro ou algo fora do comum, ficar rica todos queremos, mas não é algo que se ganhe embrulhado, talvez se você achar 1 milhão embrulhado embaixo de um banco e tiver coragem de abrir, correndo o risco de ser uma bomba, aí sim, você ganhou o "ser rica" ou melhor milionária, mas como isso é quase que impossível, eu queria uma bolsa, apenas. RS. Minha mãe foi tão boazinha, me deu várias sandalinhas e a bolsa, não encontrei nenhuma que me agradasse. Fiquei satisfeita, nesse dia com isso. Depois, minha mãe, Ju e eu fomos nos "envenenar" no Mc Donald's "O PECADO NECESSÁRIO". Depois de fartas, mais compras! Bom, eu não aguentava mais, embora fosse bom, mesmo com os pés e pernas latejando, mas cheia de bolsas de presentes. Agora sim, vamos para casa? Trem novamente. Que tal boas risadas? Hein?! Agora, são desnecessários os detalhes sobre o porquê das risadas (só para deixar na curiosodade, coisas que só nós sabemos). Cheguei em casa morta, literalmente! Não aguentava mais nada. Entrei na internet e li todos aqueles scraps do orkut e depoimentos que me emocionaram. A única pessoa que eu liguei para me desejar parabéns foi o Fabiano, aquele chato não me ligou e nem deixou recado e nem falou comigo no MSN, mas mesmo assim eu falei e cobrei. Eu sei que não presto. Rs. Bom, realmente não aguentava mais e cheguei a pensar que não sairia mais de casa, mas por uma transmissão de pensamentos, quem me liga? Flavim. Na hora eu que eu ia mandar uma mensagem ele me ligou e tinha acabado de chegar do trabalho, mas conseguimos nos ver. Não lembro, exatamente, que horas eram, mas foi na hora que meu tio me ligou, muito fofo, mas confesso que queria descer o mais rápido possível. Tudo acontecia para que nós não víssemos, mas dia 19 tinha que ser a excessão. Ele veio tão rápido e ele estava com cara de cansado, mas confesso que, também, foi um dos melhores presentes, foi vê-lo. Desculpem-me a sinceridade, mas não dá para mentir, nem para negar o que eu estava sentindo, ou melhor, estou. Não sei explicar o porque eu ainda sinto aquela sensação de que nós nunca ficamos tanto tempo longe e não me importa se isso vai acabar ou estagnar, novamente, o que importa é que mais momentos maravilhosos eu terei para contar. O mais engraçado foi ele me levando de bicicleta. OMG! Odeio ser carregada, mas com ele me senti em uma sátira do clip "Thinking of you" da Katy Perry. A última pessoa que eu vi, foi meu grande amigo chato, Babão. O dia 19 foi bastante corrido e totalmente desprogramado, como disse meus planos eram outros e acabei meu dia com o Flávio, realmente, nunca imaginaria.


Dia 20 chegou e eu acordei simplesmente moída, mas foi a continuação do dia 19. Dia só das meninas, com direito a surpresa de amigos? Bom, simplesmente demais! Quem quer mais presentes? Amanda, como sempre minha Amanda, me deu o que eu queria, sua chata. Shimmer, da VS. Tem gliter e nem é a minha cara (ironias a parte). AH! Outro prsente foi a Thami ter ido. Nossa, como eu queria, ou melhor como nós queríamos e como foi. Fazia um tempinho que eu não via a Natália e a Graziele e como foi bom passar a tardezinha com todas vocês. Joguei boliche, quem ganhou? Mamis. Sorte de principiante, tá? Fotos? Nem tiramos (ironias, novamente a parte). Hudico, meu amigo, que saudades. Ele foi me ver. Mais presentes? Para quê? Alguém cantou no ônibus? Não, imagina! Amanda, Thamires e eu? NUNCA. cof cof

Mesmo com todas as brincadeiras, posso dizer que esses dois dias foram os dias mais legais e inesquecíveis que eu não poderia deixar de contar aqui. Sei que o post ficou gigante e mesmo que ninguém leia, eu sei que eu lerei isso, algum dia, eu sei e darei boas risadas, como sempre dou. Espero que esse ano seja como o dia do meu aniversário.

Day 18 — The person that you wish you could be - a pessoa que vc deseja ser

   Eu desejo a cada dia ser uma pessoa melhor. Acho que todos desejamos. Eu, no meu conceito, preciso melhorar em tudo, sempre há um espacinho a mais para mudar, melhorar. Eu sou uma pessoa meio esquisita, meio estranha, fora meio, às vezes, da realidade. Eu penso demais, falo demais, escrevo demais. Meu nome deveria ser Paula Jardins Exagero, pois não há pessoa mais exagerada do que eu. Eu vivo cada segundo como se fosse o último e isso é bom, mas acabo sempre me envolvendo demais, no caso de um relacionamento, por exemplo, me entrego de tal forma, que acabo me esquecendo de mim e quando dou por mim, cá estou eu, chorando dores de um "amor" que eu acahava que fosse amor, que me machucou, me quebrou. As promessas são as mais dolorosas, mas o mais doloroso é saber que eu caí de novo, como sempre e isso eu não queria. Eu não gostaria de ser tão apaixonada, tão transparente, a frieza tem lá o seu lado bom. Eu gostaria de aprender a ser mais calma e me importar menos com coisas insignificantes, passou ... passou, gostaria que fosse fácil assim.
   Bom, hoje, com 18 anos, vejo a responsabilidade um pouco mais explícita, embora, atingir a maioridade não vá mudar nada em minha vida. Desejo ser uma pessoa bem-sucedida, como todos querem ser, lógico, mas sempre ter a humildade de admitir meus erros e a coragem de enfrentar problemas de cara. Desejo não ser tão medrosa e que tudo possa se resolver da melhor forma possível. Quero ser um diferencial, não um referencial, quero poder ajudar, pois acredito na lei que diz: "o mundo dá voltas", assim como já virou algumas vezes para mim, certas vezes, tão bruscamente, que me deixou desconcertada. Desejo nunca me ensoberbar e conseguir tudo isso, com meu suor e meu mérito.
   Nada do que quero ser, é diferente do que todos querem ser, mas o que eu não quero é ser mais uma na multidão, essa é a única coisa da ual eu tenho certeza.

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Day 17 — Someone from your childhood - alguém da infância

Adivinha de quem eu vou falar? Natália e Graziele. Elas são irmãs, mas eu acabei entrando na família delas e elas na minha minha. Que amizade é essa? É uma amziade de anos e quando digo anos, digo, litralmente. 11 anos de amizade, não é pouca coisa não, hein?

1999, eu tinha 6 anos e sabe aquelas crianças que brigam por qualquer coisa? Éramos nós. Brigávamos tanto, tanto, mas isso só fortaleceu mais nossa amizade e nos dá motivos de ótimas gargalhadas. Hoje, não tão próximas (convivência), somos muito chegadas e sempre que podemos nos vemos, nos falamos e mantemos contato. Essa amziade nucna será perdida e que perdure por mais 11 anos e mais outros 11 e mais outros e outros e outros. É bom tê-las como amigas. Eu amo muito vocês.

Para sempre, amigas.

Day 16 — Someone that’s not in your state/country - alguém que não está no seu estado/país

Postando o dia de ontem, pois ontem foi tudo tão corrido, dando uma de Amanda.

No momento, uma pessoinha muito especial e importante para mim. Letícia Estrela. Minha bonequinha linda e fofa, que eu amo de paixão. Eu lembro que nós brincávamos juntas quando éramos muito pequenininhas. Eu sou um pouco mais velha que ela, mas isso não importa, ela é meu bebezinho, minha gatinha. Ela tem a singeleza de uma criança e a juventudade mais brilhante. Sinto saudades.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

[Comer, rezar e amar]

"Deixe eu cuidar de você para sempre", e nunca ouvi isso antes de ninguém. Ao longo dos últimos anos, desisti de procurar essa pessoa e aprendi a dizer essa frase reconfortante para mim mesma, especialmente em momentos de medo. [Comer, rezar e amar]


Day 15 — The person you miss the most - a pessoa que vc mais sente falta

Na verdade não é bem uma pessoa, e sim o "sentimento", nesse caso, paternal. Nada a declarar.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Day 14 — Someone you’ve drifted away from - alguém que vc se afastou

Tantas pessoas, a verdade é que eu não me afastei porque eu quis, mas porque foi necessário ou alguma força maior ocasinou isso, como: tempo, distância e caminhos diferentes, se bem que isso não muda nada, existe telefone, internet, enfim ... a tecnologia a nosso favor, mas acho que nossas vidas ficaram tão corridas que não nos damos conta que nos afastamos sem querer de pessoas maravilhosas, mas mesmo assim, guardo todas na minha mente, pois se que quando nos revermos será tão foda quanto era quando andávamos juntos.
Tantas pessoas, não dá para enumerar todas, mas alguns exemplos: Natália, Graziele, Fernanda Raquel, Dayane, Thaiane, Cintia e Leandro. Têm muitos outros nomes mas eu não consigo enumerar todos. Sinto tanta a falta de vocês.

De um amigo de verdade/ Para mulheres inteligentes ♥

Vou manter o comentário masculino...
 

COMENTARIO MASCULINO:
Repasso este email com dor de barriga de tanto rir e ao mesmo tempo adorando a circunstâncias de entender as mulheres. Não sei a autoria, mas deve ser de uma MULHER muito bem resolvida (talvez, decidida). Por isso mantive os palavrões. É muito bem escrito e bem didático... para nós, homens.


JANTAR COM A MULHER


Quando um homem chama uma mulher para sair, não sabe o grau de estresse que isso desencadeia em nossas vidas. O que venho contar aqui hoje é mais dedicado aos homens do que às mulheres. Acho importante que eles saibam
O que se passa nos bastidores. Você, mulher, está flertando um Zé Ruela qualquer. Com sorte, ele acaba te chamando para sair. Vamos supor, um jantar.

Ele diz, como se fosse a coisa mais simples do mundo 'Vamos jantar amanhã?'.
Você sorri e responde, como se fosse a coisa mais simples do  mundo: 'Claro, vamos sim'.
Começou o inferno na Terra.. Foi dada a largada. Você começa a se reprogramar mentalmente e pensar em tudo que tem que fazer para estar apresentável até lá. Cancela todos os seus compromissos canceláveis e começa a odisséia.
Evidentemente, você também para de comer, afinal, quer estar em forma no dia do jantar e mulher sempre se acha gorda. Daqui pra frente, você começa a fazer a dieta do queijo: fica sem comer nada o dia inteiro e quando sente que vai desmaiar come uma fatia de queijo. Muito saudável.

Primeira coisa: fazer mãos e pés. Quem se importa se é inverno e você provavelmente vai usar uma bota de cano alto? Mãos e pés tem que estar feitos - e lá se vai uma hora do seu dia. Vocês (homens) devem estar se perguntando 'Mão tudo bem, mas porque pé, se ela vai de botas?' Lei de Murphy. Sempre dá merda.

Uma vez pensei assim e o infeliz me levou para um restaurante japonês daqueles em que tem que tirar o sapato para sentar naqueles tatames. Tomei bonito! Tive que tirar o sapato com aquela sola do pé cracuda, esmalte semi-descascado e cutícula do tamanho de um champignon! Vai que ele te coloca em alguma outra situação impossível de prever que te obriga a tirar o sapato? Para nossa paz de espírito, melhor fazer mão é pé, até porque boa parte dessa raça tem uma tara bizarra por pé feminino. OBS: Isso me emputece. Passo horas na academia malhando minha bunda e o desgraçado vai reparar justamente onde? Na porra do pé! Isso é coisa de... Melhor mudar de assunto...

As mais caprichosas, além de fazer mão e pé, ainda fazem algum tratamento capilar no salão: hidratação, escova, corte, tintura, retoque de raiz, etc. Eu não faço, mas conheço quem faça.

Ah sim, já ia esquecendo. Tem a depilação. Essa os homens não podem nem contestar. Quem quer sair com uma mulher não depilada, mesmo que seja apenas para um inocente jantar? Lá vai você depilar perna, axila, virilha, sobrancelha etc, etc. Tem mulher que depila até o cu! Mulher sofre! E lá se vai mais uma hora do seu dia. E uma hora bem dolorida, diga-se de passagem.

Dia seguinte.

É hoje seu grande dia. Quando vou sair com alguém, faço questão da dar uma passada na academia no dia, para malhar desumanamente até quase cuspir o pulmão. Não, não é para emagrecer, é para deixar minha bunda e minhas pernas enormes e durinhas (elas ficam inchadas depois de malhar).

Geralmente, o Zé Ruela não comunica onde vai levar a gente. Surge aquele dilema da roupa. Com certeza você vai errar, resta escolher se quer errar para mais ou para menos. Se te serve de consolo, ele não vai perceber.

Alias, ele não vai perceber nada. Você pode aparecer de Armani ou enrolada em um saco de batatas, tanto faz. Eles não reparam em detalhe nenhum, mas sabem dizer quando estamos bonitas (só não sabem o porquê). Mas, é como dizia Angie Dickinson: 'Eu me visto para as mulheres e me dispo para os homens'. Não tem como, a gente se arruma, mesmo que eles não reparem.

Escolhida a roupa, com a resignação que você vai errar, para mais ou para menos, vem a etapa do banho. Depois do banho e do cabelo, vem a maquiagem. Nessa etapa eu perco muito tempo. Lá vai a babaca separar cílio por cílio com palito de dente depois de passar rímel.

Depois vem a hora de se vestir. Homens não entendem, mas tem dias que a gente acorda gorda. É sério, no dia anterior o corpo estava lindo e no dia seguinte... LEITOA! Não sei o que é (provavelmente nossa imaginação), mas eu juro que acontece. Muitas vezes você compra uma roupa para um evento, na loja fica linda e na hora de sair fica uma merda. Se for um desses dias em que seu corpo está uma merda e o espelho está de sacanagem com a sua cara, é provável que você acabe com um pilha de roupas recusadas em cima da cama, chorando, com um armário cheio de roupa gritando 'EU NÃO TENHO  ROOOOOUUUUUPAAAA'. O chato é ter que refazer a maquiagem. E quando você inventa de colocar aquela calça apertada e tem que deitar na cama e pedir para outro ser humano enfiar ela em você? Uma gracinha, já vai para o jantar lacrada a vácuo. Se espirrar a calça perfura o pâncreas.

Ok, você achou uma roupa que ficou boa. Vem o dilema da lingerie. Salvo raras exceções, roupa feminina (incluindo lingerie) ou é bonita, ou é confortável.

Você olha para aquela sua calcinha de algodão do tamanho de uma lona de circo. Ela é confortável. E cor de pele. Praticamente um método anticoncepcional. Você pensa 'Eu não vou dar para ele hoje mesmo, que se foooda'. Você veste a calcinha. Aí bate a culpa.. Eu sinto culpa se ando com roupa confortável, meu inconsciente já associou estar bem vestida a sofrimento. Aí você começa a pensar 'E se mesmo sem dar para ele, ele pode acabar vendo a minha calcinha... Vai que no restaurante tem uma escada e eu tenho que subir na frente dele... se ele olhar para essa calcinha, broxará para todo o sempre comigo...'. Muito p... da vida, você tira a sua calcinha amiga e coloca uma daquelas porras mínimas e rendadas, que com certeza vão ficar entrando na sua bunda a noite toda. Melhor prevenir.

Os sapatos. Vale o mesmo que eu disse sobre roupas: ou é bonito, ou é confortável. Geralmente, quando tenho um encontro importante, opto por UMA PEÇA de roupa bem bonita e desconfortável, e o resto menos bonito mas confortável. FATO: Lei de Murphy impera. Com certeza me vai ser exigido esforço da parte comprometida pelo desconforto. Exemplo: Vou com roupa confortável e sapato assassino. Certeza que no meio da noite o animal vai soltar um 'Sei que você adora dançar, vamos sair para dançar! Eu tento fazer parecer que as lágrimas são de emoção. Uma vez, um sapato me machucou tanto, mas tanto, que fiz um bilhete para mim mesma e colei no sapato, para lembrar de nunca mais usar!. Porque eu não dei o sapato? Porra... me custou muito caro. Posso não usá-lo, mas quero tê-lo. Eu sei, eu sei, materialista do caralho. Vou voltar como besouro de esterco na próxima encarnação e comer muito coco para ver se evoluo espiritualmente! Mas por hora, o sapato fica.

Depois que você está toda montadinha, lutando mentalmente com seus dilemas do tipo 'será que dou para ele? É o terceiro encontro, talvez eu deva dar...' Começa a bater a ansiedade. Cada uma lida de um jeito.

Tenho um faniquito e começo a dizer que não quero ir. Não para ele, ligo para a infeliz da minha melhor amiga e digo que não quero mais ir, que sair para conhecer pessoas é muito estressante, que se um dia eu tiver um AVC é culpa dessa tensão toda que eu passei na vida toda em todos os primeiros encontros e que quero voltar tartaruga na próxima encarnação. Ela, coitada, escuta pacientemente e tenta me acalmar.

Agora imaginem vocês, se depois de tudo isso, o filho da p..... liga e cancela o encontro? 'Surgiu um imprevisto, podemos deixar para semana que vem?'.

Gente, não é má vontade ou intransigência, mas eu acho inadmissível uma coisa dessas, a menos que seja algo muito grave! Eu fico p..., p..., PU...da vida!
Claro, na cabecinha deles não custa nada mesmo, eles acham que é simples, que a gente levantou da cama e foi direto pro carro deles. Se eles soubessem o trabalho que dá, o estresse, o tempo perdido... nunca ousariam remarcar nada.
Se fode aí! Vem me buscar de maca e no soro, mas não desmarque comigo! Até porque, a essas alturas, a dieta radical do queijo está quase te fazendo desmaiar de fome, é questão de vida ou morte a porra do jantar! NÃO CANCELEM ENCONTROS A MENOS QUE TENHA ACONTECIDO ALGO MUITO, MUITO, GRAVE! DO TIPO...MORRER A MÃE OU O PAI TER UM  AVC NO TRÂNSITO.

Supondo que ele venha. Ele liga e diz que está chegando. Você passa perfume, escova os dentes e vai. Quando entra no carro já toma um eufemismo na lata 'HUMMM... tá cheirosa!' (tecla sap: 'Passou muito perfume, porra'). Ele nem sequer olha para a sua roupa. Ele não repara em nada, ele acha que você é assim ao natural. Eu não ligo, porque acho que homem que repara muito é meio viado, mas isso frustra algumas mulheres. E se ele for tirar a sua roupa, grandes chances dele tirar a calça junto com a calcinha e nem ver. Pois é, Minha Amiga, você passou a noite toda com a rendinha atochada (que por sinal custou muito caro) para nada. Homens, vocês sabiam que uma boa calcinha, de marca, pode custar o mesmo que um MP4? Favor tirar sem rasgar.

Quando é comigo, passo tanto estresse que chego no jantar com um pouco de raiva do cidadão. No meio da noite, já não sinto mais meus dedos dos pés, devido ao princípio de gangrena em função do sapato de bico fino. Quando ele conta piadas e ri eu penso 'É, eu também estaria de bom humor, contando piada, se não fosse essa calcinha intra-uterina raspando no colo do meu útero'. A culpa não é deles, é minha, por ser surtada com a estética. Sinto o estômago fagocitando meu fígado, mas apenas belisco a comida de leve. Fico constrangida de mostrar toda a minha potência estomacal assim, de primeira.

Para finalizar, quero ressaltar que eu falei aqui do desgaste emocional e da disponibilidade de tempo que um encontro nos provoca. Nem sequer entrei no mérito do DINHEIRO. Pois é, tudo isso custa caro. Vou fazer uma estimativa POR BAIXO, muito por baixo, porque geralmente pagamos bem mais do que isso e fazemos mais tratamentos estéticos:

Roupa............... ......... .......... .......... ........... .......... R$ 200,00

Lingerie.... ......... .......... ........... ........... ......... .........R$ 80,00

Maquiagem... ........... ............. ......... ......... ......... ....R$ 50,00

Sapato...... ........... .......... ......... ......... .......  .. ........R$ 150,00

Depilação..... ......... ......... ......... ......... .......  ...... .....R$ 50,00

Mão e pé........... .......... ......... ............ .......... ......   ...R$ 15,00

Perfume..... ........... ........... ......... ......... .......  .. .......R$ 80,00

Pílula anticoncepcional. ......... ......... ...... ..............R$ 20,00

Ou seja, JOGANDO O VALOR BEM PARA BAIXO, gastamos, no barato, R$ 500,00 para sair com um Zé Ruela. Entendem porque eu bato o pé e digo que homem TEM QUE PAGAR O MOTEL? A gente gasta muito mais para sair com eles do que ele com a gente!



Por isto amigos, valorizem seu próximo encontro e aprendam um pouco mais, sobre este ser fantástico, chamado mulher.

Homens...
Os homens bons são feios.
Os homens bonitos não são bons.
Os homens bonitos e bons são gays.
Os homens bonitos, bons e heterossexuais estão casados.
Os homens que não são bonitos, mas são bons, não têm dinheiro.
Os homens que não são bonitos, mas que são bons e com dinheiro, pensam que só
estamos atrás de seu dinheiro.
Os homens bonitos, que não são bons e são heterossexuais, não acham que somos suficientemente bonitas.
Os homens que nos acham bonitas, que são heterossexuais, bons e têm dinheiro, são covardes..
Os homens que são bonitos, bons, têm dinheiro e graças a Deus são heterossexuais, são tímidos e NUNCA DÃO O PRIMEIRO
PASSO!

Os homens que nunca dão o primeiro passo, automaticamente perdem o interesse em nós quando tomamos a iniciativa.
AGORA... QUEM NESSE MUNDO ENTENDE OS HOMENS? 


MORAL DA HISTÓRIA:

Homens são como um bom vinho. Todos começam como uvas, e é dever da mulher pisa-los e mantê-los no escuro até que amadureçam e se tornem uma boa companhia
pro jantar.
 
PARA MULHERES INTELIGENTES QUE PRECISEM DAR UMAS RISADAS...
e  HOMENS CAPAZES DE LIDAR COM ISSO !!!


'Mulheres existem para serem amadas, 
não para serem entendidas.'
  (Vinicius de Moraes)

sábado, 15 de janeiro de 2011

Day 12 — The person you hate most/caused you a lot of pain - a pessoa que vc mais odeia/que mais te causou dor

Ódio é uma palavra muito forte, assim como amor. Assim como "eu te amo", "eu te odeio" virou clichê e uma coisa que sempre falo é que todas vão me machucar, porem somente eu saberei por quem valerá a pena sofrer, se bem que todo mundo é capaz de dominar uma dor, exceto quem a sente.
Eu não consigo odiar ninguém, eu posso sentir raiva, muita raiva, mas não chega a ser ódio, quando aquele momento de raiva passa, passou, pelo menos para mim morreu tudo. EU SOU ASSIM.
Sabe o que acho engraçado é que quem mais faz a gente sofrer são as pessoas que mais gostamos, pelo menos comigo é desse jeto. A maioria das pessoas que me machucam, são pessoas muito queridas. As coisas voltam ao normal depois. A única que consegue acabar comigo, literalmente, é a minha mãe. Bom ... todos podem dizer que mãe nos ama mais que tudo e, realmente, eu não duvido nem um pouco disso, ela me ama e faz tudo por mim, mas tudo que ela fala soa como som de uma faca entrando no peito. Para ela, tudo que faço é nada e sempre, sempre mesmo, sou "absoluta", eu me mando e o caramba, agora mesmo ela disse que eu não moraria com ela por muito tempo. Ela, talvez ache, que eu quero fazer tudo que me der na telha e a verdade é que ela não está errada, mias ela sabe o que é que quero fazer? Bom ... só eu e Deus sabemos, mas ninguém. É com muita dor no coração e os olhos quase transbordando, digo que a pessoa que mais me faz sofrer é a minha mãe, contrapondo-se: sendo ela a que faz tudo por mim. Quem eu sou? Ela não sabe. :s

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Ponto final

Você nunca pediu para eu ficar, mas esse era o pedido que eu fazia todos os dias.


Day 11 — A Deceased person you wish you could talk to - alguém que morreu e vc gostaria de conversar

Hoje eu sei muito bem o que falar, ou melhor, sobre quem falar. Não precisei nem pensar, a primeira e única pessoa que vem a cabeça é meu avô. Meus olhos enxem-se de lágrimas somente em lembrar. Eu tinha 6 anos quando ele morreu e quando minha mãe falou que ele havia falecido eu chorei muito e ela me comprou com balas, mas hoje, mais velha, vejo o quanto tudo seria diferente se ele aida fosse vivo. Lembro do copo em que ele bebia seu café, em um barzinho perto da casa do meu pai, aquele copos americanos, toda vez que os vejo meu coração fica apertadinho. Não tenho muitas memórias reias dele, mas tenho minha memórias inventadas de como tudo seria melhor. Tenho pouco de sua imagem, somente as fotos me revelam o quanto ele me amava e eu cresci sentindo todo amor dele, mesmo que eu não me lembre. Fico imaginando ele abaixando meu braços, porque quando durmo eu coloco os braços para cima e minha mãe fala que ele sempre colocava meus braços para baixo. Eu nasci um dia antes do aniversário dele e meu apelido era Bastiana, porque o nome dele era Sebastião. Sinto falta do que não aconteceu, mas na minha cabeça muita coisa aconteceu. Queria poder conversar com ele e falar para ele o quanto está doendo meu coração, queria poder abraçá-lo e pedir forças para aguentar firme tudo que se passa. Queria falar meus sonhos e falar que estou feliz porque conclui mais módulo do meu curso de Inglês. Queria falar, olhando em seus olhos, que eu o amo e agradecer por tudo.


quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Aprendam, por favor.

All I want

Eu quero que ele seja brincalhão, mas seja sério quando necessário. Quero que ele abra um soriso ao me ver. Quero que ele me coloque no mundo nele, porque não quero invadir o mundo de ninguém. Quero que me mande mesangens de manhã e me ligue para dizer que vai dormir e que quer ouvir a minha voz uma última vez naquele dia. Quero que me abrace forte e que não se importe de estar comigo. Não quero que troque seus amigos para ficar comigo, porque eu também não farei isso, mas quero que de vez enquando fique só comigo e depois podemos nos reunir todos. Quero que não se importe com minhas as minhas loucuras sérias e minha seriedade maluca. Não se importe quando eu disser que não quero falar, quero que me faça esquecer de tudo e apenas me faça sorrir. Quero um presente do nada, pode ser um chocolate. Quero que olhe para mim e diga que nunca vai embora e que cumpra a promessa, outra coisa, quero muitas declarações, mas quero que cada declarção seja provada em atos, todos os dias. Quero me apaixonar todos os dias de manhã e quero que a estrela mais brilhante seja só nossa. Quero que me procure depois de uma briga e quero que me surpreenda. Quero que faça tudo por mim, porque assim também o farei. Quero deitar na grama envolta por teus braços e quando eu der por mim, quero que me dê cócegas e me mate de tanto rir, daí eu fuja e você vá me buscar e depois você me abraçar e me rodar. Quero que não seja um sonho, quero que se importe comigo quando eu chegar de cara fechada. Quero crescer junto a ele e que ele cresça junto a mim. Quero deitar no colo dele e contar meus desejos. Quero que ele saia de algum lugar e me ligue, dizendo que chegou bem e para perguntar se já cheguei. Quero que ele leia tudo que escrevo e seja ele mesmo. Quero que ele seja diferente. Que ele me ame como nunca amou ninguém e que me queira em todos os lugares com ele. Quero que ele zombe de mim e me abrace dizendo que é brincadeira. Quero que ele entenda minhas confusões e que não se importe por eu falar demais e nem por sorrir demais. Quero alguém que nunca me ignore, nunca me troque, nunca solte. Quero que vivamos sempre como no primeiro encontro, no primeiro abraço, no primeiro beijo.


Think of me when you're out, when you're out there
I'll beg you nice from my knees
When the world treats you way too fairly
It's a shame I'm a dream
All I wanted was you

Day 10 — Someone you don’t talk to as much as you’d like to - alguém que você não conversa tanto quanto gostaria

É meio contraditório, porque as pessoas que citarei são pessoas que falo todos os dias, mas realmente ainda é pouco. São tantas histórias, tantos momentos e com vocês tudo faz sentido. (Em ordem alfabética)

Amanda: Idas e vindas no trem, ônibus, todos os dias conversando sobre tudo. Risadas e mais risadas, choros e mais choros. HORAS no telefone, HORAS no email. Ela entende meus surtos e surta junto comigo, com ela o sorriso é garantido. Não imaginava que seríamos tão amigas, tão coladas e tão unidas. Obrigada por tudo.

Juliana: Pode passar o tempo que passar, quando nos juntamos a farra é garantida. Quem tem as ideias mais loucas e sonha junto comigo os sonhos mais mirabolantes? Eu agradeço todos os dias pelas sua vida, porque sua amizade é muito importante para mim.

Suellen: Os momentos mais engraçados que não caberiam em um livro. Isso é fato. A gente? A gente não presta!! Sabe o que é mais legal na nossa amizade? A gente não precisa estar grudada 24 horas, somos de outros (rs) mas para surpresa geral da NAÇÃO RUBRO NEGRA (lógico) sabemos tudo uma da outra e cada dia que passa essa amizade vem me surpreendendo e cada dia aprendo mais.

Nós falamos muito, mas mesmo assim ainda é pouco, amigas, muito pouco. Nossas conversas parecem que são infinitas. São muitas roupas, muitos babados, muitas risadas, mas não as suficientes. Eu amo vocês do fundo do meu coração. Além de amigas, são irmãs. Gostaria de ficar mais tempo com vocês, de falar mais com vocês.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Ask fast

Responda rápido:

1. Perfeita? Não
2. Alta? Não
3. Está de pijama? Não
4. Canhota? Não


O último:

1. Amigo que você viu: Amanda
2. Pessoa com quem você falou ao telefone: Douglas
3. Hoje foi melhor que ontem? Sim

Favoritos:

1. Número? Não tenho
2. Cor? Roxo
3. Fruta? Morango
4. Lugar? Petrópoles

Perguntas e Respostas:

1. Qual foi a primeira coisa que você fez essa manhã usando acordou? Fui ao banheiro rs
2. Alguma coisa te aborrece? Infantilidade
3. Qual foi o ultimo filme que você viu? De pernas para o ar
4. Pra onde você foi da última vez que saiu de casa? Trabalho
5. Você sorri muito? DEMAIS
6. Já fez um pedido a uma estrela? Sim
7. É uma pessoa amigável? Creio que sim
8. Onde você dormiu noite passada? No meu quarto
9. Quando foi a ultima vez que você chorou? Serve lágrimas que não deixei escapar? Se sim, hoje
10. Qual foi seu último pensamento antes de dormir noite passada? Obrigada Senhor
11. Numa escala de 1 a 10, que nota você dá a sua vida agora? 5
12. O que você está ouvindo agora? Party in the U.S.A. Miley Cyrus
13. Alguma coisa machuca você? Sim, imaturidade
14. Qual o seu mês favorito? Não tenho
15. O que você fez noite passada? Dormi cedo

Seis emoções:

1. Sente falta de alguém agora? Sim
2. Está feliz? Sim
3. Está triste? Sim
4. Está entediado? MUITO
5. Nervosa? Eu diria impaciente
6. Cansado? Um pouco

Sobre você:

1. Qual é o seu nome verdadeiro? Paula
2. Qual a cor dos seus olhos? Castanhos
3. Signo? Capricórnio
4. Você é homem ou mulher? Mulher
5. Momento favorito? Não tem como citar
6. Você é promíscuo? Não, rs
7. É esperto? Sagaz
8. Qual a cor do seu cabelo? Castanho escuro
10. Celular ou câmera? Câmera
11. Fuma ou bebe? Não, odeio
12. Tem tatuagens? Não

Primeiros:

1. Primeiro melhor amigo: Natália e Graziele
2. Primeira paixão: Cayo
3. Primeiro animal: Uma cahorrinha chamada Priscila, mas morreu atropelada

No momento:

1. Comendo: Não
2. Bebendo: Não
3. Estou a ponto de: SURTAR
4. Ouvindo: Eu sempre quero mais - Capital Inicial
5. Planos pra hoje: CASA ¬¬

Você já:

1. Bebeu espumante? Sim
2. Perdeu óculos ou lentes de contato? Dos outros, rs
3. Fugiu de alguém? MUITAS VEZES
4. Partiu o coração de alguém? Sim
5. Foi preso? Não
6. Milagres? Sim
7. Paraíso? Céu
8. Papai Noel? Sim
9. Amor ? Ele tem fugido de mim
10. Deus? MEU TUDO

Responda as seguintes honestamente:

1. Você gosta de alguém?  SIM
2. Respondeu todas as perguntas honestamente? Sim

11/01/11

Ultimamente tenho sentido meu mundo de cabeça para baixo. Muito louco isso. Parece que um turbilhão de sentimentos ainda são poucos para um dia apenas. Meu problema é ficar pensando demais, eu me preocupo muito fácil com coisas que são quase insignificantes.
Acho que a música que tem embalado esses dias é: O mundo gira e bota sempre tudo no lugar.

Day 8 — Your favorite internet friend - amigo favorito da internet

Nossa, até que enfim um dia que não tenho que falar de amor e parentes, mas esse tema é difícil porque não consigo manter "amigos virtuais". A internet já fortaleceu e muito minhas amizades, mas posso dizer que amigos virtuais não tive muitos e os poucos se foram. Já tive fake, mas não consigo manter. Para dizer que não tenho, tem um menino, Rodrigo, que me adicionou ou eu adicionei ele, não lembro e descobri que ele morava na minha rua. Acabamos nos conhecendo pessoalmente, sem querer, no trem. Foi engraçadíssimo, eu sabia que o conhecia de algum lugar, mas na hora em que ele me chamou, realmente não me dei conta, só depois. Tem também o Fabiano, mas eu o conheci primeiro, em um curso de capacitação básica, adicionei ele e começamos a conversar, desde então, sempre nos falamos e raramentes nos vemos. Têm o Hudico e o Henrique, eles são amigos de umas amigas minhas e de tanto elas falarem neles, fiquei curiosa e os adicionei e olha, são meus amigões. Acho que não tenho amigos só de internet, não que eu tenha conhecido na vida em "off". Não tenho um amigo favorito de internet. Hoje o post é pequeno. Por hoje é só.

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Day 7 — Your Ex-boyfriend/girlfriend/love/crush - ex namorada/amor/queda amorosa

Sempre ouço dizer que ex se fosse bom, seria atual. Bom, concordo e discordo. Tecnicamente eu namorei duas vezes e basicamente tive alguns "casos" que não deram certo, mas como comentei no primeiro dia, aqueles foram os mais marcantes, porem hoje é o dia dos ex, os casos já foram comentados.

Não tenho nada que falar deles porque são pessoas maravilhosas, eu cresci e dei boas risadas e tive ótimos momentos. Meu primeiro namoro deu certo e muito certo, durou 2 anos, se não tivesse dado certo não teria durado tanto, só que deu o que tinha que dar. Ele sempre foi um amor, acredito que ainda seja, sempre muito atencioso, carinhoso e sempre me mimou. Nossa o cara perfeito! Sim, um ótimo namorado, mas como já falei no outro post, o problema sou eu. Bom, eu comecei a me sentir presa e sempre fui muito extrovertida, mas o namoro já não me fazia tão bem quanto antes, não me restava mais somente a amizade dele, embora eu tenha sofrido muito com o término. Eu queria novos amigos e ele sempre foi "anti-social", como eu gosto de agradar aos outros, principalmente quem eu gosto, eu ficava um pouco mais na minha, até que não fui "aguentava" mais. Minha mãe sempre foi contra, se bem que esse não foi o ponto crucial que motivou o término, mas tambem ajudou bastante. Ele vacilou comigo uma vez e acho que nunca superei esse vacilo, mesmo dizendo que o havia perdoado e quando começamos a brigar (porque até então, nosso relacionamento era tão perfeito que não brigávamos, eu sempre gostei de evitar brigas e mesmo que ele estivesse errado eu cedia, mas eram raras as nossas brigas), eu jogava (erroniamente) esse fato na cara dele. Foi no começo de dezembro de 2008 que vi que realmente a Paula havia mudado. As coisas que eu me interessavam, não me interessavam mais e eu comecei a senti uma absurda vontade de mudar e de sair daquele mundinho, que até então era só meu e dele. Começo das férias, eu não o via todo dia, comecei a sentir uma estranha sensação de "cara, não vou vê-lo" isso é terrível, confesso, mas me sentia assim. Fui levando o namoro por mais 4 meses, aproximadamente, porque no fundo eu gostava dele e terminei gostando dele, mas não dava. Começou a ficar sufocante. Foi terrível para ele e isso me matava, ele ligou, mas não atendi, porque eu sabia que cederia apenas no momento que eu ouvisse a voz dele. Sumi da vida por um tempo.

Meu segundo namorado, eu conheci esse ano, ele tinha um sorriso lindo, que me encantou, ele era gago, mas era encantador, mas não foi como eu pensava. A verdade é que nesse meio tempo, eu me apaixonei pela minha "queda" do primeiro dia e não ficava com ninguém a tempos e acho que eu estava carente quando fiquei com ele. Ele tambem era carinhoso e atencioso, TUDO que eu simplesmente amo. Ele me mimava e era engraçado a forma que eu o tratava, porque eu NUNCA gostei dele de fato, eu me iludi e tenho muito raiva disso. Ele vacilou comigo também, mas dessa vez eu não suportei. Eu era meio chata com ele, sabe, só que o mundo gira e hoje, não cometeria esse erro de novo. Quando eu decidi realmente dar uma chance para mim mesma, ele vai e vacila. Fiquei muito chateada, não só com ele, mas comigo mesmo. Ele ainda me procurou depois que terminamos, mas eu não quis mais vê-lo e nem falar com ele, quando então decidi dar um ponto final, desde então não o vejo e nem falo com ele.

É isso. A culpa sempre foi minha e reconheço isso. Não posso culpar de estar sozinha.

domingo, 9 de janeiro de 2011

Waiting ...


When I call it's because I miss you but when I don't call I am waiting that you miss me.

Gostei.

  
"Só porque eu mudo do nada e simplismente fico mais quieta acham que estou doente. Só porque eu fico na minha e de repente falo tudo que penso e acho, dizem que estou sendo ignorante. Só porque me iludi uma vez, acham que vou me iludir todas as vezes que eu amar. Só porque sou realista, enxergo todos os detalhes e digo a verdade, me acham estranha. Mas a verdade é que todos vêem o mundo de apenas uma única maneira, porque são toscos demais para poder enxergar a verdade que se encontra a um palmo debaixo de suas narinas."

Day 6 — A stranger - um estranho

É muito relativo o dia de hoje. "Um estranho". Que estranho? Qual estranho? Eu posso falar sobre o que é estranho primeiro, como por exemplo, você estar com uma pessoa e todos os dias olhar e ver que, mesmo estando com ela, é uma total estranha para você. O mundo gira e bota sempre tudo no lugar. Se hoje eu "reclamo", é porque um dia eu já estive nesse lugar e vejo o quanto doi e machuca ser "um total estranho do teu lado."

Acho que posso falar também de um estranho, mas necessariamente uma estranha. Apresentando: Paula Jardins. Eu sou uma pessoa estranha e complicada, às vezes, eu não me conheço, não me entendo. Se "um estranho" for de que estranho você poderá falar, esse estranho pode ser eu mesma. 

Esse é um tema meio estranho também, mas está postasdo. rs

sábado, 8 de janeiro de 2011

Copying

   "Já me enganei sobre muitas pessoas e também me enganei sobre mim mesma . já disse nunca mais e fiz tudo de novo . já pensei que fosse pra sempre e nem percebi quando acabou . sim, errei muito e erro sempre . machuco quem não deveria e me decepciono com aqueles que eu mais amo . já escrevi e não mandei, já disse te amo quando deveria dizer te quero bem e já quis dizer te amo e no lugar disse apenas eu gosto de você . sei exatamente o que quero fazer daqui a 10 anos, mas não sei que roupa vou colocar amanhã . não lembro o que comi ontem, mas lembro exatamente de cada palavra de carinho que já ouvi . sinto saudade do que não tive, sinto falta até mesmo de quem esta perto de mim . posso amar sem ser notado, posso morrer de ciúmes e mesmo assim conseguir sorrir, posso esquecer quem me deixou triste, mas não esqueço jamais de quem me fez feliz !"



Day 5 — Your dreams - seus sonhos

"Nós todos temos sonhos. 
Mas, para tornar os sonhos realidade, é preciso uma enorme quantidade de determinação, dedicação, auto-disciplina e esforço"

 Os meu sonhos são muito presentes e, às vezes, um pouco distantes, mas cada dia que passa tenho um pouco mais de forças para alcançá-los. 
Sonhar é muito bom, mas idealizar e realizar é melhor ainda. Eu sou sim, uma pessoa sonhadora, creio que até demais. Uma pessoa sem sonhos, desejos e metas, é uma pessoa vazia e de sonhos, desejos e metas estou transbordando e isso é muito bom.
Não existe sonho bobo, como por exemplo, para algumas pessoas possa parecer, eu quero ter um cachorro. Fui criada em apartamento pequeno e minha vó nunca gostou de bichos, então nunca tive o "amigo fiel". Tenho sonhos que sonho desde mais nova, como por exemplo, Petrobras. Todos sabem. Eu trabalho em frente a Petrobras, no centro do Rio, então "olho o meu sonho" todo dia. Sempre em pensamento: "Estarei aqui logo, logo." Se bem que quero trabalhar embarcada. Tenho sonhos meio doidos, como ser cantora e ficar muito rica (sempre é bom dar umas risadas com as amigas, quando falamos isso). Tenho o sonho que muito gente tem, por exemplo, ir à Disney. Nossa!!! Algumas vezes nem consigo me imaginar fora do Brasil e sonho em rodar o mundo inteiro. Sonho também em encontrar alguém com quem compartilhar esse sonho. Passear em Veneza, tirar fotos na Torre Eiffel, pedalar em Londres, fazer compras em New York, enfim ... Sonho em fazer intercâmbio, ir no show da Avril Lavigne e Katy Perry. Coisas normais e doidas, não importa o sonho, eu apenas sonho. Meu combustível diário.


Eu sonho em ser acordada com um beijo na testa e uma bandeija de café da manhã e mesmo estando a pior de todas as mulheres, ouvir que sou linda e que sempre serei amada. Acho que todo o mundo sonha com o "amor", mesmo que diga que não.






Bom, mais um dia de carta, seguindo direitinho e já estou com teclado novo. \o/ rs


Para conquistar boas coisas, precisamos sonhar e agir.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Compartilhado com a amiga

"Que seja doce o dia quando eu abrir as janelas e lembrar de você. Que sejam doce os finais de tardes, inclusive os de segunda-feira - quando começa a contagem regressiva para o final de semana chegar. Que seja doce a espera pelas mensagens, ligações e recadinhos bonitinhos. Que seja (mais do que) doce a voz ao falar no telefone. Que seja doce o seu cheiro. Que seja doce o seu jeito, seus olhares, seu receio. Que seja doce o seu modo de andar, de sentir, de demonstrar afeto. Que sejam doce suas expressões faciais, até o levantar de sobrancelha. Que seja doce a leveza que eu sentirei ao seu lado. Que seja doce a ausência do meu medo. Que seja doce o seu abraço. Que seja doce o modo como você irá segurar na minha mão. Que seja doce. Que sejamos doce"

Thoughts about the confusion.

"Se o passado é distração e o futuro, preocupação, sobra para nós, perseguidores da felicidade, a inexistente ilusão do presente, em que tu és o que tu fazes, e nada nem ninguém mais importa. Isso é felicidade."

"A primeira lição está dada: o amor é onipresente. Agora a segunda: mas é imprevisível. Jamais espere ouvir “eu te amo” num jantar à luz de velas, no dia dos namorados. Ou receber flores logo após a primeira transa. O amor odeia clichês. Você vai ouvir “eu te amo” numa terça-feira, às quatro da tarde, depois de uma discussão, e as flores vão chegar no dia que você tirar carteira de motorista, depois de aprovado no teste de baliza. Idealizar é sofrer. Amar é surpreender."




“Gandhi disse: 'o que seja que você faça na vida será insignificante, mas é muito importante que você faça, porque ninguém mais irá fazê-lo'. Como quando alguém entra na sua vida, e metade de você diz que não está nem um pouco preparado. Mas a outra metade diz: Faça que ela seja sua para sempre”.

"Encontros preciosos não são necessariamente os que nos trazem jardins já floridos. São, um bocado de vezes, aqueles que nos ofertam mudas."


“Desejar é um verbo intransitivo. O desejo investe no vazio, naquilo que não temos. Só valorizamos o que está ausente. Ou seja, aquilo que só percebo quando perco, porque, depois de perdido, ele se torna perfeito”

07/01/11

A vida, as vezes, nos coloca em situações meio embaraçosas, na verdade nós tomamos as decisões, então quem nos coloca em situações embaraçosas, somos nós mesmos.
Eu sou impulsiva e muito medrosa, mas aprendi a controlar esses sentimentos e estou deixando meu coração me guiar, porem o coração é enganoso e algumas vezes pensamos que aqueles determinados ato ou decisão sejam o melhor para nós e acabamos nos machucando quando vemos que não era nada daquilo que nós pensávamos.

Minha vida está uma loucura, minha mente anda a mil, mas eu quero aproveitar enquanto ainda posso ser insana e, realmente não me importo quando dizem que sou louca e admito: sou louca sim. Vivo fazendo loucuras "bobinhas", loucuras de amor, loucuras com amigos, loucuras que não deveriam ser feitas, mas isso é viver.

A vida é desse jeito, caímos 7 vezes, nos levantamos 8 e vamos aprendendo. Sou uma eterna aprendiz (8)

Day 4 — Your sibling (or closest relative) - parente próximo

Como já falei, pra mim é muito difícil falar de "família" ou "parentes", enfim ... qualquer coisa do gênero. Eu simplesmente não sei o que falar. Minha família é minha mãe, minha vó e meus amigos, meus parentes, bom ... nao tenho contato com nenhum deles, tenho um pouco de contato com meu tio paterno, mas quase não o vejo, nem meu tio materno, bom, não tenho um sentimento forte. Lógico, tenho um carinho, mas nada demais. Hoje, realmente, não tenho nada a declarar.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Day 3 — Your parents - seus pais

Mais um dia, cá estou eu, cumprindo os 30 dias de carta e confesso que está me fazendo muito bem. Hoje é um assunto muito complexo que mexe muito comigo, a verdade ele mexe muito mais comigo do que qualquer paixãozinha inacabada ou histórias de amores arruínadas.
Meus pais. O que é ser pai? (Eu sempre começo a frase com uma pergunta, acho que é pra eu mesmo tentar me dar a resposta.) Não sei o que essa palavra representa. Meus pais são separados e eu, fruto de uma relação que não deu certo, às vezes, sinto como se fosse um "fardo", embora possa parecer bobeira da minha cabeça. Cresci com a minha mãe e com a minha vó, meu pai não quis me ver mais com 6 anos de idade.
Lembro-me como se fosse hoje, era uma manhã de sábado do ano de 1999, deveria ser o dia em que ele me buscaria, como o de sempre. Aquele dia ele não foi e eu gostava de ficar com ele, eu me lembro claramente o quanto era bom, talvez pelo fato de ter a liberdade de, por exemplo, pular na cama, ficar na rua, ou simplesmente porque lá eu tinha com quem brincar, coisas que não havia na casa da minha mãe. Sempre moramos em apartamento e sou a única filha dela, sempre tive regras e limites (lógico, todos precisamos disso, mas uma criança de 4 anos de idade não entende perfeitamente), então era legal ir para casa do meu pai. Nesse sábado ele falou que não queria mais me ver e que eu ficasse com o meu Deus (na época eu estava começando a ir para Igreja e eu adorava-ainda adoro-porque além de tudo, tinha outras crianças, então dava pra me "destrair") e falou que eu era uma doente, sem argumento nenhum. Fiquei pálida e assustada e é como se aquelas palavras me assombrassem até hoje.
Minha mãe sempre foi (ainda é) super protetora, não que não seja bom, mas agora, com quase 18 anos não poder ir dormir na casa da melhor amiga é muito "tenso". Meu relacionamento com ela é exageradamente bom e absurdamente ruim, é um extremo. Ela é a melhor mãe do mundo, ela é guerreira, dá um duro filho da p**** para dar o melhor e o mais confortável para mim e para minha vó, ela é alegre, alto astral, faz de tudo pra me dá o que quero, me incentiva em cursos e em qualquer loucura que eu queira fazer em ramos profissionais, estudos, etc. Tenho orgulho dela. Contrapartida, ela me cobra muito e quando está tudo bem ela fala que não presto, que não falo nada ou que estou distante, ou que não quero nada com nada, bom ... nada do que nenhuma mãe, alguma vez na vida não tenha falado para um filho, eu sei disso, mas dói. Nosso relacionamento já foi MUITO pior, várias surras, tapas na cara e agora as famosas "proibições". Ela sempre diz que eu sou absoluta, que quero ser dona do meu nariz e sempre joga na minha cara as coisas que ela paga ou faz para mim, isso me mata. Bom ... todos dizem mães são todas iguais e eu concordo e ela mesmo diz que farei a mesma coisa com os meus filhos e do fundo do meu coração não quero fazer nem a metade de coisas que ela fez (que me machuram) com os meus filhos. Talvez você que esteja lendo, pode dizer: "Mas ela é só mais uma filha "rebelde", que não entende, mais uma adolescente." Eu não concordo e ainda te explico. O motivo pelo qual eu "reclamo" é que certas coisas nunca deveriam ser ditas e ela diz. É duro ouvir que não serei nada, que sou uma maldição na vida dela (sendo que ela é minha mãe). Ela sempre grita e nunca me ouve e não estou sendo "dramática", quem me conhece e conhece a minha mãe sabe que é verdade, tanto que pra dizer que iria namorar a alguns anos atrás eu tive que escrever uma carta, porque eu estava com medo. É ... talvez o que eu sinta pela minha mãe é medo e não respeito. Ela pega muito pesado e, às vezes eu me controlo, outras não. Ontem mesmo ela chegou dizendo tudo e mais um pouco pra mim, fiquei calada em tudo, aí depois ela diz que eu não a amo. Bom, é o cúmulo. Eu reclamo sim, gostaria que fóssemos amigas, além de mãe e filha, mas ela é somente minha mãe, isso eu tenho certeza.
Enfim, pais, caso complicado e creio que os pais tem muito orgulho de seus filhos e muito a reclamar também, mesmo sendo filhos. Eu não sei o que é ter pai e mãe, aquele amor de casal, aquelas brigas de casal, mas a minha história com meus pais é essa.
Quanto ao meu pai, acho que mesmo depois de tudo que passei, não somente pela ausência, eu ainda estenderia os braços, caso ele me procurasse, é o que falo, sou uma idiota, fazer o quê? Sou uma bobinha e tenho ciência disso, mas no fundo eu sempre observo as coisas. Espero um dia por encontrá-lo e queria ter uma a minha mãe como uma amiga. Na vida nada é perfeito. AH! Por favor, não me julgue como a adolescente "revoltada", isso não irá adiantar nada, porque nós (adolescentes) também temos coração e sentimento.

"Palavras roubadas"

"História escrita a lápis, lápis-borracha para tudo ser mais prático. Escrita de qualquer jeito, torta, em linhas invisíveis. Com um início de perder o fôlego, mas com um eterno três pontinhos num final que nem existe. Os três pontinhos são o que me matam, ponto final seria a dureza clara e o fim da história, três pontinhos são o que me matam."

Tati Bernardi 

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Day 2 — Your Crush - sua queda amorosa/paixão

Bom ... não sei bem como falar sobre esse assunto, é tão relativo. Eu posso falar da minha queda atual ou da minhas quedas de sempre ou de todas as minhas quedas, ou simplesmente enrolar e não falar, absolutamente, nada. Não farei isso!  Uma amiga minha, que também esta no proposito dos 30 dias de carta, escreveu sobre todas as quedas, eu vou tentar falar de tudo um pouco.

O amor. O que é o amor? As vezes eu fico pensando nisso, mas é difícil. Quando estou sozinha, parece que nunca amei, mas eu sou o tipo de pessoa que ama. Eu amo e amo intensamente. Não vivo um amor qualquer. Não irei expor ninguém, essa não é a minha intenção, eu tentarei relatar de uma forma mais divertida, quem sabe, ou não, as minhas quedas.

Pra começo de parágrafo posso dizer que agora estou nessa "queda", como diria um bom amigo, "rolo". A verdade é que mais uma vez estou escrevendo sobre o amor e seus sentimentos derivados: ciumes, saudades, paixão, enfim ... eu sou assim: intensa e transparente e estou curtindo esse momento, ele é meu "crush".

"Ela é uma moça de poses delicadas, sorrisos discretos e olhar misterioso.
Ela tem cara de menina mimada, um quê de esquisitice, uma sensibilidade de flor, um jeito encantado de ser, um toque de intuição e um tom de doçura.
Ela reflete lilás, um brilho de estrela, uma inquietude, uma solidão de artista e um ar sensato de cientista.
Ela é intensa e tem mania de sentir por completo, de amar por completo e de ser por completo.
Dentro dela tem um coração bobo, que é sempre capaz de amar e de acreditar outra vez.
Ela tem aquele gosto doce de menina romântica e aquele gosto ácido de mulher moderna."

Bom, minhas quedas são as mais loucas, porque na verdade não há quedas, há desmoronamento e para mim o mundo acaba por causa delas. A minha dor parece que é maior dor do mundo e quando passa, eu vejo o quão esquisita eu sou. Não tive sorte. Não é que eu não tenha tido sorte, eu acho que não nasci pra ter ninguém. Meu jeito é complicado, tão difícil que até eu me acho insuportável alguns dias.

Meu primeiro amor, foi a queda mais, absurdamente, incrível. Eu aprendi tanto, cresci tanto e se sou o que sou hoje, devo a ele também. Mudei por causa dele. Hoje, mas velha, talvez um pouco mais amadurecida, vejo que eu era uma criança e que ele foi meu refúgio. Você, caro leitor, (me senti a escritora, agora), deve estar se perguntando: "Se era tão incrível, por que acabou?" A resposta é super simples. EU! Foi a queda mais longa e acho que a mais "destrutiva" ou "reconstrutiva" que já tive. Tantos fatores me motivaram a tomar essa decisão e posteriormente a atitude que acabaria comigo um tempo depois. Algumas pessoas dizem que nada do que um amor novo para curar o coração do amor "antigo", bom, acho que isso é mais uma ilusão, da qual eu cai. Sabe quando nos encantamos pelo carinho, pelo diferente, pelo novo. Eu, realmente, não tinha vivido antes o que vivi com esse "falso amor" (será que foi falso mesmo? -quero acreditar que sim, porque doi muito menos). Eu nunca cresci tanto em 3 meses. Tudo mudou. Foi louco e maravilhoso tudo que aconteceu, cada pedaço de mim tinha medo, mas o que eu estava sentindo era forte que não me fez ver o quanto aquilo não era tão simples quanto eu imaginava. A frase que marcou essa "queda" foi: "Ame-me quando eu menos merecer, pois é quando eu mais precisarei do seu amor." Eu sou tão exagerada, principalmente quando o assunto é "relacionamento" ou amor, como queiram. Acabou, por um erro, ou talvez não. A verdade é que o passado sempre foi muito presente na minha vida e eu nunca consegui fugir disso, totalmente. Mais um longo tempo passou, e o mais inacreditável de tudo é que eu fingia que eu não sentia nada, e sempre declarava: "pior do que sentir dor é não sentir nada." Como eu pude acreditar nessa mentira? Eu consigo me enganar facilmente, por alguns instantes, mas no fundo eu sei o que, realmente, eu sinto.

Eu ficaria falando horas aqui, sobre cada pessoa que passou na minha vida, a verdade é que os mais intensos são esses e não vale a pena falar de todas as decepções que já vivi. Eu sou brasileira e continuarei seguindo em frente e não importa em quantos pedaços eu me quebre, o que importa é que com esses caquinhos meus, eu posso construir uma armadura e cada vez que isso acontece eu vejo o quanto eu sou forte, mesmo que eu mesma minta pra mim dizendo que sou fraca, se bem que nem eu mesma acredito nisso, mas vamos deixar do jeito que está. Eu tinha pensado em escrever sobre todos, mas são tão insignificantes que não merecem as minhas preciosas linhas de pensamento.

No final de tudo, eu sempre estou sozinha e desejo muito que dessa vez seja diferente e não seja apenas um "crush".

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Day 1 — Your Best Friend - seu melhor amigo

   My best friend is ... Bom, a verdade é que nao tenho como distinguir esse é meu melhor amigo ou aquele é meu melhor amigo. Eu posso afirmar que sao poucos aqueles que eu posso contar TUDO. Amigos sao a familia que Deus nos permite escolher e eu posso dizer que tenho uma familia. 

   O que posso dizer da minha mae? Ela
é a unica pessoa do mundo que me tira do serio, me deixa com raiva, mas é unica que em todos os momentos estara ao meu lado e me carregara no colo e para ela serei sempre um bebe. O que dizer da Amanda? Ela que nunca se importa se sorrio mais que o normal e que sempre me faz ver o lado bom das coisas e de como somente Deus vai me ajudar a sair de qualquer situaçao e de como ela sempre tem razao. Ela sempre esta do meu lado mesmo sabendo que estou fazendo burrada e quando da tudo errado o ombro esta la, todas as vezes que eu precisar. O que falar da Juliana? Ficar hoooooooooras conversando com ela sobre QUALQUER coisa e a QUALQUER hora? 
    
   Ficaria aqui falando o dia inteiro de cada um, mas ninguem teria paciencia de ler. Nao é porque o nome de cada um nao esta aqui que eu nao va considerar como amigo, que isso fique claro. Cada um tem um pedacinho do meu coraçao reservado especialmente, porque voces, meus amigos, sao unicos. (Suellen, Bertrand, Dayane, Thayane, Marcus, Hudson, Fabiano, Raquel, Thami Pacheco, Malu, Nati, Grazi, Naty, Bruna, Carol, Luana, Douglas, Rafa Barreto, Rafa Uchoa, Thami S,  David, Rodrigo, enfim ...) Pessoas inesqueciveis, momentos memoraveis, realmente, eu tenho os melhores amigos do mundo.


Amo voces


30 days letter

Eu vi em um blog e achei muito interessante, muito mesmo, na verdade achei tão interessante que resolvi fazer.
Você terá os títulos, basta criar um texto real e coerente sobre o assunto do título. Uma situação que aconteceu com você, um momento, enfim ... anything. Serão 30 dias árduos.
Eu postarei os títulos de cada dia e não sei quando publicarei os textos. Espero que gostem da ideia, isso meche com a minha imaginação e espero que mecham com a de vocês.

Day 1 — Your Best Friend - seu melhor amigo
Day 2 — Your Crush - sua queda amorosa/paixão
Day 3 — Your parents - seus pais
Day 4 — Your sibling (or closest relative) - parente próximo
Day 5 — Your dreams - seus sonhos
Day 6 — A stranger - um estranho
Day 7 — Your Ex-boyfriend/girlfriend/love/crush - ex namorada/amor/queda amorosa
Day 8 — Your favorite internet friend - amigo favorito da internet
Day 9 — Someone you wish you could meet - alguém que você queria conhecer
Day 10 — Someone you don’t talk to as much as you’d like to - alguém que você não conversa tanto quanto gostaria
Day 11 — A Deceased person you wish you could talk to - alguém que morreu e vc gostaria de conversar
Day 12 — The person you hate most/caused you a lot of pain - a pessoa que vc mais odeia/que mais te causou dor
Day 13 — Someone you wish could forgive you - alguém que vc deseja que te perdoe
Day 14 — Someone you’ve drifted away from - alguém que vc se afastou
Day 15 — The person you miss the most - a pessoa que vc mais sente falta
Day 16 — Someone that’s not in your state/country - alguém que não está no seu estado/país
Day 17 — Someone from your childhood - alguém da infância
Day 18 — The person that you wish you could be - a pessoa que vc deseja ser
Day 19 — Someone that pesters your mind—good or bad - alguém que importuna sua mente bom ou ruim
Day 20 — The one that broke your heart the hardest - alguém que partiu seu coração com força
Day 21 — Someone you judged by their first impression - alguém que vc julgou na primeira impressão
Day 22 — Someone you want to give a second chance to - alguém que vc daria uma segunda chance
Day 23 — The last person you kissed - a ultima pessoa que vc beijou
Day 24 — The person that gave you your favorite memory - a pessoa que lhe deu sua memoria favorita
Day 25 — The person you know that is going through the worst of times - alguém que esta passando tempos ruins
Day 26 — The last person you made a pinky promise to - a ultima pessoa que vc fez a promessa do mindinho
Day 27 — The friendliest person you knew for only one day - a pessoa amigável que vc conheceu por um dia apenas
Day 28 — Someone that changed your life - alguém que mudou sua vida
Day 29 — The person that you want tell everything to, but too afraid to - alguém que vc quer contar tudo, mas tem muito medo de contar
Day 30 — Your reflection in the mirror - seu reflexo no espelho.



Beijooos